Sábado, 28 de Novembro de 2009

Quem salva os ouriços do Litoral Norte?

 

A Associação de Protecção e Conservação do Ambiente – APCA, na sequência das suas anteriores intervenções e face ao agravamento da situação em apreço nos últimos dias, a que se tem juntado inúmeros pedidos de cidadãos no sentido de que esta associação intervenha publicamente, perante a passividade de quem de direito em razão do lugar e da matéria, vem por este meio expor a sua posição e diligências efectuadas.

Nos últimos cinco anos, no litoral do Alto Minho tem-se constatado a captura “industrial” de ouriços do mar, sem que com o devido respeito e salvo melhor opinião, sejam observadas as disposições legais vigentes, sobre a captura desta espécie, nem tão pouco os aspectos relativos ao impacto ambiental desta actividade nos ecossistemas litorâneos do Alto Minho e capacidade de reposição das comunidades afectadas. Salienta-se que os ouriços do mar têm vindo a ser capturados, por grupos organizados de pessoas, às toneladas, por via terrestre, nas bancadas rochosas compreendidas entre Moledo e Areosa e entre Chafé e Castelo de Neiva. Ensacados no próprio local da captura são, posteriormente, levados para camiões, estacionados na orla costeira, que alegadamente os transportam para a vizinha Galiza e parte superior do Vale do Minho. Estamos perante uma actividade “industrial” que anualmente captura no litoral do Alto Minho e comercializa dezenas de toneladas de ouriços-do-mar, supostamente para serem transformados industrialmente na Galiza e mais recentemente numa unidade em Monção.

Conforme é do conhecimento público as áreas onde é efectuada a captura dos ouriços do mar encontram-se sob a égide, entre outras disposições legais, dos regulamentos administrativos da Reserva Ecológica Nacional, da Rede Natura, do Plano de Ordenamento da Orla Costeira de Caminha a Espinho e obviamente do exercício das actividades piscatórias.

Perante os factos acima referidos e por solicitação de diversos cidadãos que se sentiam indignados com tais práticas e com a inoperância dos organismos a quem compete fazer observar o disposto na lei, decidiu a APCA em 11 de Novembro de 2006 abrir um procedimento com vista ao apuramento da existência de irregularidades e ilicitudes no exercício da actividade acima mencionada. Assim, no decurso de 2006 e anos seguintes, solicitou-se a informação necessária ao apuramento da licitude dos actos praticados, entre outros organismos, à Inspecção Geral do Ambiente e Ordenamento do Território (IGAOT), Instituto de Conservação da Natureza (ICN agora ICN-B), Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), Câmara Municipal de Viana do Castelo e Capitania do Porto de Mar de Viana do Castelo.

 Das diligências efectuadas e através da prestimosa colaboração do então Sr. Vice-Presidente da CCDR-Norte  Eng.º Ricardo Magalhães, foi a APCA informada que a CCDR-Norte tinha requerido a intervenção do Sr. Director Geral das Pescas e Aquicultura nos seguintes termos:

O POOC interdita a apanha de moluscos e o pisoteio nas bancadas intertidais da Praia de Angeiras e nas bancadas situadas entre os estuários do Minho e Lima e entre a Amorosa e a Foz do Neiva. Nestas últimas poderão ser definidas anualmente áreas passíveis de serem visitadas, por edital conjunto da Câmara Municipal respectiva, da Direcção Regional do Ambiente, Direcção Geral das Pescas e da Autoridade Marítima (artigo 13.º n.º 5 RCM 25/99, de 7 de Abril).

Acontece que nas acções de fiscalização se tem verificado que as pessoas que se dedicam à apanha possuem cartão e licença de apanhador que, no entanto, não específica os locais onde será efectuada a apanha dos animais marinhos ao longo da costa Norte. Assim, permitimo-nos chamar a atenção para a situação decorrente da aplicação do POOC Caminha-Espinho que, em nosso entender, deveria ser ressalvada aquando da emissão das licenças”.

Apesar destas diligências tudo infelizmente permanece na mesma, agravando-se ano após ano esta situação verdadeiramente insustentável no litoral do Alto Minho. Nas últimas semanas a pressão sobre o litoral altominhoto aumentou, andando neste momento indivíduos a recrutar pelas freguesias pessoas para a apanha de ouriços do mar. Nos últimos dias perante a passividade de quem de direito em razão do lugar e da matéria tem-se assistido no litoral do Alto Minho a novas capturas em escala industrial de ouriços do mar o que até prova em contrário está em contravenção, entre outros diplomas, com o estabelecido no Plano de Ordenamento da Orla Costeira de Caminha a Espinho. Na semana passada no âmbito dos Encontros do Litoral promovidos pelo Polis do Litoral Norte, a situação da apanha industrial de ouriços do mar no Litoral Norte foi aflorada pelo Prof. Dr. Pedro Gomes da Universidade do Minho que alertou para a gravidade do que se estava a passar no Alto Minho.

Considerando o exposto, assim como o estabelecido na legislação vigente, requer-se a intervenção urgente de quem de direito, a fim de que na orla costeira do Alto Minho sejam observadas as restrições previstas no POOC Caminha a Espinho aquando da emissão das novas licenças anuais para o exercício desta actividade e seja garantido que o exercício da mesma não porá em causa a presença e renovação do ouriço do mar no Litoral do Alto Minho.

.

Afife, 28 de Novembro de 2009                                                           


A Direcção da APCA

 

 

publicado por afifeambiente às 13:24
link | comentar | ver comentários (1) | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.posts recentes

. A Floresta deve ser motiv...

. ARROJAMENTO DE DOIS CETÁC...

. ARROJAMENTO DE BALEIA EM ...

. DIA MUNDIAL DO AMBIENTE

. Associação de Protecção e...

. NOVO ARROJAMENTO DE GOLFI...

. GOLFINHO E TARTARUGA ARRO...

. ...

. O ambiente no Minho

. Agricultura, Floresta, Á...

. Quem salva o rio do Pego ...

. Quem salva o ambiente no ...

. As Eternas Esquecidas Zo...

. Poluição da água e degra...

. Polícia Marítima de Viana...

. GOLFINHO ARROJADO EM AFIF...

. Protagonismo político à c...

. Radiação Ultra Violeta El...

. Moinhos seculares de Afif...

. Qual será o futuro ambien...

. GOLFINHO E TARTARUGA ARRO...

. As comemorações devem ser...

. Quem salva os ouriços do ...

. Quem salva os seculares m...

. Polis do Litoral, mas sem...

. Cividade de Afife – Âncor...

. Estado da Mamôa da Ereira...

. DIA MUNDIAL DO AMBIENTE

. EM ABRIL QUATRO GOLFINHOS...

. O Dia da Terra e o 25 de ...

. Cegonhas brancas em Santa...

. Dia da Floresta, um mero ...

. Garças boieiras na Veiga ...

. Dia Mundial do A...

. Sr. Presidente da Repúbli...

. Prossegue a Morte de Golf...

. AGUAS RESIDUAIS DA ESTAÇÃ...

. Dia Mundial da Água e a “...

. DIA MUNDIAL DA FLORESTA

. A Criação de uma Reserva ...

. Golfinhos continuam a mor...

. Violação da Reserva Ecoló...

. MARÉ NEGRA NAS PRAIAS DE ...

.arquivos

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Junho 2013

. Março 2013

. Novembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Março 2012

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Fevereiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Novembro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.favorito

. ARROJAMENTO DE BALEIA EM ...

. DIA MUNDIAL DO AMBIENTE

. Associação de Protecção e...

. NOVO ARROJAMENTO DE GOLFI...

. GOLFINHO E TARTARUGA ARRO...

. ...

. O ambiente no Minho

. Agricultura, Floresta, Á...

. Quem salva o rio do Pego ...

. Quem salva o ambiente no ...

blogs SAPO

.subscrever feeds